Arte plone matéria biometria 2022

Medida foi tomada como prevenção à pandemia da Covid 19 e não é mais possível realizar o cadastramento biométrico

A coleta de dados biométricos de eleitoras e eleitores continua suspensa em todo o Brasil devido à pandemia de covid-19. A interrupção do cadastramento biométrico foi determinada pelo TSE por meio da Resolução nº 23.615/2020, que estabeleceu o regime de plantão extraordinário na Justiça Eleitoral, com o objetivo de prevenir o contágio pelo novo corona vírus.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está seguindo esta recomendação desde o dia 14 de julho de 2020, quando foi apresentada pelos infectologistas que prestam consultoria sanitária para as eleições, excluindo a necessidade de identificação biométrica no dia da votação.

A decisão foi tomada pelo presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, após ouvir os médicos David Uip, do Hospital Sírio Libanês, Marília Santini, da Fundação Fiocruz, e Luís Fernando Aranha Camargo, do Hospital Albert Einstein, que integram o grupo que presta a consultoria.

Para decidir excluir a biometria, médicos e técnicos consideraram dois fatores: a identificação pela digital pode aumentar as possibilidades de infecção, já que o leitor não pode ser higienizado com frequência; e aumenta as aglomerações, uma vez que a votação com biometria é mais demorada do que a votação com assinatura no caderno de votações. Muitos eleitores têm dificuldade com a leitura das digitais, o que aumenta o risco de formar filas.

Veja mais