JE pelo Brasil - 20.12.2023

Jovem de 24 anos atua na produção de conteúdos para as redes sociais do Regional alagoano e figura nas campanhas de inclusão promovidas pela corte

Um mundo mais justo, igualitário e, principalmente, inclusivo. Baseada nesse lema, a gestão do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL) realizou, no último dia 11 de dezembro, a formalização do primeiro contrato de estágio de uma pessoa com deficiência intelectual na Justiça Eleitoral alagoana. Trata-se de Ana Clara Ardison, a Clarinha, que aos 24 anos passa a integrar a equipe de produção de conteúdo para as redes sociais do tribunal.

Na visão do presidente do TRE-AL, desembargador Klever Rêgo Loureiro, o Poder Judiciário precisa se organizar de forma mais aberta e inclusiva. “A atuação de pessoas com deficiência na administração pública significa inclusão e combate ao preconceito, ao mesmo tempo que promove mais eficiência na prestação de serviços à população por conta desse olhar diferenciado”, aponta Loureiro. 

Clarinha já havia trabalhado na recepção de um hotel e também em uma secretaria do governo estadual de Alagoas, como Jovem Aprendiz. Mas a experiência no tribunal tem tudo para ser a mais enriquecedora de sua trajetória até agora. “Sou Clarinha, a primeira estagiária com síndrome de Down da Justiça Eleitoral de Alagoas”, afirma a jovem.

je-pelo-brasil

Veja mais